E a festa chegou!

BellVil

 

 

Como prometi, vou tentar resumir (5 horas de tortura), aqui. A festa foi num clube imenso, decoração mais parecia Festa do Hawaí.

 Quero antes, deixar claro que amo Italianos, dancei

quase 12 anos pela Societá Italiana, afinal o pai da minha melhor amiga era diretor dela, e como já havia explicado sempre fui tratada como filha (acho que por isso, abusaram de mim).

Eu conhecia mais a família de ambos os lados, mas a família da noiva, tirando os pais dela não conheciam nem a mãe do noivo (vai vendo o comecinho da confusão).

Se um italiano já fala e gesticula pra caramba, imaginem centenas deles?

Eu tinha que ser intérprete o tempo todo (o lado do noivo,não entendia patavinas).

Podia xingar a vontade e eles ainda riam.

A mãe do noivo não saía de meu lado e eu tentando apresentá-la as tias da noiva.

Mas a Tia Concheta (essa era de lascar, não deixava nunca ninguém falar), antes que eu abrisse a boca para apresentar, ela vira e diz na lata:

- Ma que me parla a Sra (ela tentando falar português era uma mistura disgramada)?

Justo para a mãe do noivo ela diz, esse vai se dar bene, ma que gorpe do baú esse pobretone aplicou.

Ai DIO mio, eu vi tudo girar e juro que não tinha bebido nada ainda.

Eu tentava remediar e de leve ela cutucar para que parasse, mas não, ela queria justo da mãe do noivo a confirmação.

Não preciso falar da cara dela, né? Me olhava como quem diz (essa vou matar e vai ser pra já).

E eu mudando de assunto, dizia, tia a tua sobrinha tá linda, deixa eu (ela não deixava eu continuar e mais pau metia no noivo)...

Não agüentando mais, gritei... afinal ninguém ia reparar, tava todo mundo falando alto mesmo no salão. Pára tia, essa é a mãe do noivo, owwwwww!

Gente, essa cena sim, merecia uma bela fotografia!

Jamais havia visto tia Concheta gaguejar e ainda sobrou pra mim, pode?

Ma perche tu no me parlaste logo, porca pipa e tentando se desculpar (a mãe dele não tava muito afim não).

Eu levei na esportiva e dizia rindo (ow suadouro passei). Não ligue, a tia é muito divertida, ela tava só zuando, ela vivia brincando com seu filho disso.

E tia ainda me fala... owww tá doida? Io nunca parlei com ele, tô conhecendo hoje (olha a inocência), que vontade me deu de falar um baita palavrão.

Falei em italiano a ela que era desculpa que eu estava dando e que ela saísse dali rapidinho.

A mãe do noivo (graças a Deus, não entendia nada de italiano) queria a todo custo saber o que estava eu falando.

E eu só dizia , niente , niente.

Ops, desculpe, nada, nada, agarrei a tia e a arranquei dali.

Pedi que tomasse cuidado e que avisasse o resto quem era a mãe do coitado (putz, nunca vi ninguém, ser tão xingado).

Pedi ajuda ao meu par...drinho e para quê? Quando contei do fora que a própria mãe dele deu, o cara se dobrou em dois, pensei até que ia ter um treco, ria tanto e dizia ainda, deixa quieto, isso tá engraçado demais, já xinguei mais de cinco da família dele e ainda me agradeceram! kkkkkkk

Aisssss, eu agarrei ele pela gravata (aquelas que tem elástico) puxei bem longe e soltei (foi bem na cara dele). Olha aqui, é tua prima, trate de me ajudar ou muito mais coisas em você vai doer!

Calma, já avacalhamos o casório mesmo, deixa pegar fogo a festa também, toma aqui um whisky e relaxa. Um? Tomei logo três, mais zonza que eu tava não ia ficar mesma.

Me sentia peça de xadrez, tira daqui, coloca ali, meu medo era a hora do xeque-mate!

Tanto que me chamavam para apartar os rolos que iam se formando, garçons assustados (peguei quatro bebendo, pode?) quando chamei a atenção deles, ainda me disseram, desculpe, mas nem nós estamos nos entendendo, nos contrataram para cinco horas, como vamos agüentar isso?

Vai ver o Maitre então, afe eu só não falei mais nada, quem ia me ouvir no meio dessa confusão?

No andar de cima tinha uma toillete especial para a noiva, já tinham me avisado mais de dez vezes que ela tava me chamando.

Consegui subir, e de ver a alegria dela, valia tudo que tava passando.

Ela me abraçava e dizia só obrigada por estar segurando as pontas, eu só dei uma idéia a ela que aceitou na hora.

Se manda sem avisar ninguém, a festa vai longe, vocês vão acabar se aborrecendo, teu agora marido, é estourado e não vai valer a pena estragarem esse momento (não via a hora que os dois desaparecessem, afinal eu só queria evitar acidentes). Avisa ele lá então, pede para subir que eu já estou me trocando.

E lá fui eu (mola ambulante, arghhhhhh).

Eram tantas rodinhas de gente rindo , falando alto, não dava nem para saber em qual delas era brigando.

Em uma delas vi gente se empurrando, epaaa, a coisa ali pegou, e lá estava justo ele a ponto de socar um primo dela que estava pronto para o ataque.

Me meti no meio para apartar e se não sou esperta e me abaixo, quase iam a mim nocautear.

Acreditem ou não, ninguém fazia nada, só riam com a situação.

Virei bolinha de ping-pong, empurra pra cá, empurra pra lá, se não fizesse o que fiz, ia virar era um pião.

Passei a mão numa bandeja e ameacei os dois já brava, quem vai ser o primeiro?

Puxei o noivo dali e pedia calma, afinal já tinha casado mesmo, que custava levar na brincadeira, você já sabia disso tudo, justo agora vai embaçar?

Olha Bell tô me controlando, você sabe bem tudo que agüentei no namoro e noivado, mas que família dela , que só se acha!

Epa, fala assim deles não, tá certo que são exagerados, mas são como se fossem tios e primos meus de verdade.

Caramba cara, você vivia dizendo que um dia ia provar a todos que estavam se enganando.

Eu sei, te agradeço por tudo que está fazendo, sei que só você que está desde o começo nos ajudando.

Então cara, vai lá pra cima, pedi a ela que vocês fugissem sem dar satisfação, só sei que vai embolar depois é pra cima de mim, filha única sem se despedir, minha nossa, sairei viva daqui?

Que nada, eles te adoram, sei que vai se sair bem e se não der, mande eles para...

Ehhhhhhhhhh poparar, sem malcriação, não é por aí não!

Ah tá, fui ofendido até os talos, vi minha mãe nervosa, mas afinal só porque eles tem grana acham que vou precisar deles?

(Aí já foi cara de pau dele, o pai dela havia comprado e mobiliado o apê deles, e até carro, tá certo que tudo no nome da filha, mas deu, né?)

Enfim consegui fazer os dois saírem sem serem vistos, minha nossa, chorei tanto ao dar tchau, na verdade não sei se era de alívio, ou pelo que eu esperava quando descobrissem.

Consegui inventar mil desculpas quando por eles perguntavam, até que não deu mais, a  tia mór (mãe dela) descobriu lá no andar de cima o bilhete que fiz ela escrever de despedida para a mãe, explicando o porque havia saído sem ter se despedido.

Mama miaaaaaaaaaa ela desceu gritando, eu tampei os ouvidos e meu par...drinho só zoando, é hoje que você vira picadinho.

Nossa filha se foi (tadinha, ela chorava tanto) me diz me agarrando, você sabia filha mia?

Eu? Eu não, mas ela me conhecia bem, sabia quando eu mentia.

Fica calma depois explico (até parece que ela não sabia) essa sim, era a única que sempre gostara e respeitara o agora genro.

Uma santa mulher, mas que marido ela tinha, até ela morria de medo dele. Só eu que encarava, oras , se nem meu pai brigava comigo, ia aturar birra dele?

Bom, quero e preciso finalizar, impossível tudo tin tin por contar, vou só para os finalmente.

Quando todo mundo soube que os noivos não estavam mais lá, afeeeeee virou pastelão, ou seria mercadão?

Virou guerra de frutas, essa jamais eu esperava, coisa mais linda, abacaxis, melões, fatias de melancia, pêras, maçãs, ao invés de bolas, pelo ar, voando.

Mais lindo foi ver quando na cara dos convidados, pegando!

Abaixa daqui, desguia dali, fui parar atrás do barzinho bem agachadinha, um garçom também teve a mesma idéia, ele ria e dizia, esse casamento jamais esquecerei, se eu soubesse tinha trazido minha família.

Aikarakas, ainda tive que ouvir isso, disse a ele, levanta aí, oww , veja se a guerra de frutas já acabou.

Aí sim, quem desopilou legal o fígado foi eu...

No que ele foi olhar, tomou na cara uma melanciada e de contra peso pedaços de bolo (esse nem sabia que tava no pastelão), credo não respeitaram nem o baita bolo de enfeite, a cara dele melecada mal dava para ver os olhos e quanto mais ele reclamava, mais ele levava.

Zoei legal da cara dele, disse bem feito e fui saindo bem devagarinho pela porta lateral, vi meu par...drinho totalmente enfrutado, sabia que estava me procurando, mas fruta e bolada não ía levar mesma, nem essa... me faltava!

Madrinha?

Nunca mais!