-
 
 
 

 
Memórias de Você
 
 
 
 
 
 
BellVil
 
 
 
 
 
 
 
 
Cartas amareladas que na gaveta , ficou
 
 
Relógio sobre a escrivaninha, esquecido, parou
 
 
A chave perdida, encontrei, mas meus sentimentos ela trancou
 
 
Posso abri-los quando bem quiser, pelo menos isso, o destino não me tirou
 
 
Não me interessa mais olhar nada disso, até a poeira o vento já levou
 
 
Se quem vive de passado é museu, não quero nem recordar, me interessa apenas o futuro que a vida a mim, reservou!!
 
 
 
 
 
BellVil
 
 
 
 
 


/