Mulher Criança

BellVil

 

Ontem menina, hoje mulher.
Cresceu apenas, mas a criança estará sempre nela, só morrerá se ela assim o quiser.


Não via a hora de ser adulta; que tolice... Somente quando se cresce, percebemos o quanto é bom ser criança.


Não conhecia maldades, tristezas, brincava só do faz-de-conta.
Guerras eram de bolinhas de papel, travesseiro e não essas cruéis, só de bomba.


Éramos livres, bastava assobiar, para os coleguinhas chamar.
Hoje nem se vê meninas com bonecas para brincar.


Fui, sou, e serei sempre uma molequinha.
Não me envergonho de ser ainda a criança que sempre fui...
e conservo dentro de mim.


Se ser adulta é fazer coisas que não concordo...
Serei eternamente uma Mulher Criança.

 Pelo menos serei eu, com rugas, bengalinha.

Passem os anos, pouco importa, serei sempre assim!